Goalkeeper comes out and causes debate in premier league

Published: October 7, 2010

O goleiro Messi, do Palmeira (Rio Grande do Norte), ganhou as manchetes por assumir ser gay. No lugar do preconceito, o jogador conquistou patrocínios para o clube da cidade de Goianinha, a 50km de Natal. Baseada nesta história, a Revista ESPN, cuja edição de outubro chega às bancas nesta quinta-feira, 7, ouviu dirigentes dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro sobre homossexualismo no futebol.

A publicação questionou qual seria a decisão que os clubes tomariam caso um de seus jogadores assumisse ser homossexual. A maioria dos dirigentes afirmou que não haveria problemas caso isso acontecesse.

As opiniões

Marco Aurélio Cunha, superintendente de futebol do São Paulo, foi uma das exceções. “Eu aconselharia a não assumir nada. O futebol é o esporte coletivo de mais público, que gera mais paixões, e com certeza a torcida não aceitaria. Seria pior para o jogador”, afirmou o dirigente.

Leave a Reply