Condom dispensers in schools

Published: October 8, 2010

Em relação à produção de camisinhas em escala industrial, a imprensa noticiou que há quatro anos o Governo busca por parceiros para a produção de dois modelos de equipamento de distribuição de camisinhas para instalação em escolas públicas do país, embora os técnicos do Ministério da Saúde reconheçam que há dificuldades em se associar a um fabricante e muita resistência de alguns setores da sociedade. Contudo, a expectativa do Programa Nacional de DST/Aids responsável pela iniciativa, é que até 40 máquinas comecem a funcionar ainda neste ano.
Os protótipos das máquinas foram desenvolvidos pelos institutos federais da Paraíba e de Santa Catarina, mas só o primeiro já foi oferecido ao mercado. O outro, apresentado pelo ministério em 2008, foi revisto e finalizado no início do mês de julho passado. O custo unitário de fabricação da máquina pode variar de R$ 600 a R$ 900.

A proposta é de que nestas máquinas os adolescentes possam digitar uma senha e retirar o seu preservativo. Cada escola vai decidir onde vai instalar a sua máquina, mas a ideia é que elas fiquem em locais onde os alunos possam retirar sua camisinha com discrição, como nos banheiros
CADASTRAMENTO: Segundo o Censo Escolar de 2005, que deu base à iniciativa, 15 mil escolas de ensino médio distribuíram preservativos naquele ano e depois disso cresceu o número de escolas públicas cadastradas no programa e que recebem uma cota mensal de preservativos para serem distribuídos entre os alunos. Uma das metas do governo é que a taxa de adesão ao programa suba para 35% das escolas, mesmo sem a imediata instalação das máquinas de preservativos. Hoje, cada estudante cadastrado recebe cerca de 30 preservativos por mês com a supervisão de professores e conselheiro.

A construção e a implantação de “máquinas de camisinhas” em escolas fazem parte do programa Saúde e Prevenção nas Escolas, do Ministério da Saúde e segundo a diretora do Programa de DST/Aids, Mariângela Simão, o objetivo do projeto é ampliar o acesso gratuito do jovem aos preservativos como forma de prevenir gravidez não planejada e doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Leave a Reply